Portfólio – Raphael Fernandes (Roteirista e editor)

 

Raphael Fernandes

Especializado em histórias de terror, crime e ficção científica, Raphael Fernandes escreve quadrinhos com boas doses de ocultismo, subversão e contracultura. Suas narrativas estão povoadas de criaturas lovecraftianas, magos do caos, sobreviventes urbanos e um monte de outsiders, rebeldes e desajustados.

Formado em História pela USP, estreou como roteirista na HQ policial “Ditadura No Ar” (2011), com arte de Abel, e publicada pela Editora Draco. Obra que recebeu o Troféu HQMix nas categorias Melhor Minissérie (2016) e Roteirista Novo Talento (2013).


No entanto, sua paixão pelo macabro tomou forma na trilogia de horror cósmico: “O Rei Amarelo”, “O Despertar de Cthulhu” e “Demônios da Goetia”. Essas obras foram editadas por Fernandes, que também escreveu alguns dos roteiros. Entre suas novas investidas no gênero estão a coletânea “Delirium Tremens de Edgar Allan Poe”, “Freakshow – Escape dos Sentidos” e “A Teia Escarlate”.


Também escreveu a série de quadrinhos “Apagão”, sobre uma São Paulo atingida por um blecaute interminável e dominada por gangues. Uma distopia a brasileira! O universo transmídia de Apagão inclui duas HQs, “Cidade sem lei/luz” e “Ligação direta”, além de uma trilha sonora e projetos de game, RPG e card game. Em 2016, foi lançado o prequel em áudio drama “Apagão – Entre o lobo e o cão”, produzido pela Rede Geek e com narração de Guilherme Briggs.


Sua inquestionável dedicação por escrever e editar quadrinhos pode ser vista em títulos como “Periferia Cyberpunk”, “Zikas”, “Na Quebrada”, “Gibi Quântico”, “Ida e Volta”, entre outras publicações.


Atualmente, Raphael Fernandes é o editor de quadrinhos da Editora Draco, mas já foi o responsável pela renovação da revista de humor “MAD” pela Panini. Também foi o criador do blog Contraversão, da newsletter Superfuzz e do instagram Fuzz Tarot, onde revela seu trabalho como tarólogo. Além de ministrar cursos de escrita de roteiro para quadrinhos.

 

Principais quadrinhos publicados

 

Ditadura No Ar (2016)

 

Após o desaparecimento de sua namorada Nina, o fotógrafo Félix Panta passa a perseguir um militar, que estava no comando das operações durante as manifestações em que ela esteve envolvida. Obra que recebeu o Troféu HQMix nas categorias Melhor Minissérie (2016) e Roteirista Novo Talento (2013).
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Abel.

 

Apagão – Ligação Direta (2014)

 

 

Primeira publicação que lancei em uma CCXP, foi um sucesso de vendas e abriu portas para que pudesse trabalhar mais histórias de ação. Mostra o jovem Mandrill atravessando a cidade para salvar seu padrasto Apoema.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Camaleão.

 

Apagão – Cidade sem lei/luz (2015)


 

Resultado de uma campanha no Catarse bem sucedida, o volume ampliava o universo de Apagão, além de mostrar mais detalhes de uma São Paulo devastada após três meses sem eletricidade. Gangues, xamanismo e sobrevivência urbana são alguns dos temas da HQ.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Camaleão.

 

O Despertar de Cthulhu (2016) 

Segunda coletânea da coleção de horror cósmico duotone da Draco! Nessa imensidade de criaturas inomináveis, há uma narrativa sobre um homem que após entrar em uma igreja vê sua vida se reconstruir, o problema é que o preço é a sua individualidade.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Samuel Bono.

 

Demônios da Goetia (2017)

A última parte a trilogia de horror cósmico surpreendeu a todos ao utilizar como referência um livro de invocação de verdade. A primeira história revela como a vida de um adolescente pode ser completamente demolida ao se envolver com forças profanas por conta de uma desilusão amorosa.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Daniel Canedo.

 

A Teia Escarlate (2017)

Poucas coisas cobram um preço tão alto quanto a imortalidade, essa é a dura lição que Juliette Minerva teve que aprender desde o momento em que nasceu. Ambientada no universo dark fantasy da série literária Tempos de Sangue, de Eduardo Kasse.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Clayton In Loco e Daniel Canedo. Capa: Ioannis Fiore.

 

Delirium Tremens (2018)

Neste primeiro volume da coleção “Escritores Malditos”, o autor homenageado é o norte-americano Edgar Allan Poe. A última história da coletânea revela que a consciência de um homem não abandona seu corpo mesmo após a morte.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Tiago Palma.

 

Na Quebrada (2019)

Lançada na Perifacon, essa coletânea mistura o universo do hip hop com quadrinhos para criar histórias fantásticas nas periferias do Brasil. A primeira HQ mostra o que acontece com o rapaz que descobre ser capaz de ver a morte das pessoas em que ele toca.
Roteiro: Raphael Fernandes. Arte: Braziliano.

 

http://www.raphaelfernandes.com.br
Twitter: @raphafernandes
Instagram: @raphaelfernandess

Marcações:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *