Perfil

raphael-fernandesEspecializado em histórias de terror, crime e ficção científica, suas HQs são marcadas pelo ocultismo, subversão e contracultura. Nessas narrativas, você vai encontrar criaturas lovecraftianas, segredos do governo, magia do caos, ação desenfreada e muito  “desgraçamento mental”.

Formado em História pela USP, estreou como roteirista na HQ policial “Ditadura No Ar” (2011), com arte de Abel, e publicada pela Editora Draco. Obra que recebeu o Troféu HQMix nas categorias Melhor Minissérie (2016) e Roteirista Novo Talento (2013).

No entanto, sua paixão pelo macabro tomou forma na trilogia de horror cósmico formada por “O Rei Amarelo”, “O Despertar de Cthulhu” e “Demônios da Goetia”. As obras foram editadas por ele, que também escreveu alguns dos roteiros. Entre suas novas investidas no gênero está a coletânea “Delirium Tremens de Edgar Allan Poe” e “Freakshow – Escape dos Sentidos”, história patrocinada e inspirada em uma sala do Escape Time e com parceria do programa de rádio 89 Freak Show.

Outro de seus projetos é a série de quadrinhos “Apagão”, que revela uma São Paulo atingida por um blecaute interminável e dominada por gangues que disputam territórios e recursos na porrada. Uma distopia brasileira! O universo transmídia de Apagão inclui duas HQs, “Cidade sem lei/luz” e “Ligação direta”, além de uma trilha sonora e projetos de game, RPG e card game. Em 2016, foi lançado o prequel em áudio drama “Apagão – Entre o lobo e o cão”, feito em conjunto com o podcast Ultrageek e com narração de Guilherme Briggs. Este ano, Raphael retorna às ruas de Sampa para lançar uma nova graphic novel com desenhos de Abel.

Sua inquestionável dedicação por escrever e editar quadrinhos pode ser vista em títulos como “Periferia Cyberpunk”, “Na Quebrada”, “A Teia Escarlate”, “Zikas”, “Despacho”, “Gibi Quântico”, “Ida e Volta” e entre outras publicações.

Atualmente, ele é o editor de quadrinhos da Editora Draco, mas já foi o responsável pela renovação da revista de humor “MAD” pela Panini, onde permaneceu por 9 anos. Também foi o criador do blog Contraversão, da newsletter Superfuzz e o instagram Fuzz Tarot.